Ponte 25 de Abril, LISBOA

SOBRE PORTUGAL
Página Inicial / Sobre Portugal
PROGRAMAS DESTINOS
pesquisa avançada   
SOBRE PORTUGAL
PORTUGUESES FAMOSOS

É relativamente injusto falar-se das personagens seguintes sem falar de outras de igual valor. No entanto, esta lista não pretende ser exaustiva, mas tão-somente ilustrativa das pessoas de relevo internacional que este pequeno e simpático país tem dado.

Vasco da Gama (1469-1524)

É o mais famoso navegador e descobridor português. A caravela portuguesa, que no fim do século XV era o aparelho mais avançado da sua época, foi o tipo de barco escolhido para fazer a descoberta do caminho marítimo para a Índia.
A viagem por mar, contornando África, demorou cerca de dois anos, ida e volta. Hoje parece-nos muito, mas permitiu fazer uma viagem que demorava muitos anos por terra. E permitiu unir a Europa e o Oriente por ligações comerciais fintando a civilização árabe que estava de permeio.
As viagens dos portugueses pelas sete partidas do mundo, marcam, sem qualquer espécie de dúvida, o começo daquilo a que hoje chamamos globalização: o movimento de pessoas, mercadorias e ideias, à escala mundial.

 

Luís de Camões (1524-1580)

É o poeta nacional por excelência. Teve uma vida notável porque é simultaneamente um aventureiro e um erudito. Como aventureiro, conhecem-se vários episódios de arruaças e esteve envolvido em várias expedições militares. Perde um olho numa luta contra os mouros. Vive em Goa, na Índia, onde reza a lenda terá composto os Lusíadas numa gruta. Naufraga perto do rio Mekong e terá salvo o poema com uma mão enquanto com a outra tentava não se afogar. Tem problemas com a autoridade, ferindo um funcionário real e sendo várias vezes preso por comportamento errático, nomeadamente por dívidas.

Escreveu um longo poema narrativo, em dez cantos, que conta a história das Descobertas portuguesas como uma aventura de contornos épicos, espirituais e civilizacionais: "Os Lusíadas". Cesse tudo o que a antiga musa canta”, é um verso do começo dos Lusíadas. Quer dizer, cesse a musa que fez cantar Virgílio e Homero, que os feitos dos portugueses são de maior gabarito que os das civilizações clássicas.
O herói principal da narrativa é o navegador Vasco da Gama. Quando o livro acaba ao herói é permitido ver uma miniatura do universo a funcionar como os orbes celestes engrenados na perfeição. Ou seja, apesar de falar da conquista terrena, o poema alcança a conquista da sabedoria. Aos companheiros do Gama é reservada uma ilha com ninfas onde se deleitam nos mais luxuriosos prazeres.

É um livro que está disponível em quase qualquer língua para quem tenha desejo de ler este clássico da literatura mundial.
Além de algumas peças de teatro de menor interesse escreveu também sobretudo lírica. Os seus poemas de amor são dos mais conseguidos a cantar o sentimento de paixão que um ser humano pode nutrir por outro.
Camões morre no ano em que Portugal perde a independência para Espanha (por sessenta anos).

Fernando Pessoa (1888-1935)

Se Praga é a cidade de Kafka, ou Dublin a de James Joyce, Lisboa é a cidade de Pessoa.
Fez a sua escolaridade na África do Sul, é inicialmente bilingue mas vai-se tornar o maior escritor de língua portuguesa do século XX e um dos poetas mais interessantes a nível mundial e de todos os tempos.

A sua obra espalha-se por quatro heterónimos principais (um heterónimo é um autor fictício com características próprias). Assim, Fernando Pessoa inventou uma dramaturgia de poetas, que eram e não eram ele próprio, e que geraram "toda uma literatura". O que é extraordinário nos heterónimos de pessoa é eles serem, de facto, estilística, ideológica e esteticamente muito diferentes.
Uma parte importante da sua obra é dedicada ao ocultismo e às especulações esotéricas. Foi amigo do mago satanista inglês Aleister Crowley.
A última frase que escreveu antes de morrer foi “I do not know what tomorow will bring”.

Para ver programas com Lisboa, clique aqui.

Amália Rodrigues (1920-1999)

É a diva nacional no Fado, a mais alta intérprete desse género de música genuinamente portuguesa. Nasceu numa família humilde lisboeta num bairro popular da capital. Cedo se habituou aos cantares do povo, de varinas e lavadeiras. Trabalha desde muito nova em várias actividades como vendedora de fruta. Aos quinze anos já lhe reconhecem a voz excepcional na rua, com os seus pregões a vender fruta. Conhece um guitarrista amador com o qual se casará. A partir daí começa a cantar em casas de fados e aparece em peças teatrais. É apoiada por artistas modernistas portugueses como Almada Negreiros e António Ferro, indo lentamente construindo mais do que uma carreira, uma lenda.

Em Setembro de 1952 estreia em Nova Iorque ficando 14 semanas em cartaz. Convidam-na para ficar, mas ela prefere a Lisboa das suas raízes. A partir daí o sucesso internacional é conseguido através de actuações apoteóticas pelos palcos do mundo.
 Reinventou o Fado cantando temas tradicionais com algo de urbano na sua verve.  Amália considerava que viver do fado, viver para o fado, era uma "estranha forma de vida". Hoje está sepultada ao lado dos heróis nacionais no Panteão Nacional.

José Saramago (1922 - 2010 )

Nasceu em 1922, é um escritor que começa a publicar relativamente tarde, escrevendo principalmente romances mas também peças de teatro e crónicas.
É sempre problematizante em relação à história, às crenças e à maneira como as relações entre os homens são condicionadas pelas estruturas do poder.
Em 1998 foi-lhe concedido o prémio Nobel, o primeiro atribuído a um escritor de língua portuguesa. O seu "Evangelho Segundo Jesus Cristo" foi muito polémico em Portugal porque conta a história de Jesus como se fosse o próprio a narrar.
O célebre crítico americano Harold Bloom considerou que Saramago era uma espécie de novo Shakespeare.

Álvaro Siza Viera (1933 -      )

Nasceu nos arredores do Porto. Na sua formação como arquitecto é influenciado pelos fundadores míticos do modernismo internacional como Gropius, Mies van der Rohe, Adolf Loss e Frank Lloyd Wright.

As suas peças de arquitectura têm uma linguagem de um desenho límpido e com formas depuradas, com superfícies e volumes que se intersectam com a clareza das fronteiras entre a sombra e a luz. Há um sentido dos espaços que é de rara qualidade a nível internacional. As suas superfícies são normalmente, ou brancas ou em betão aparente, numa depuração decorativa extrema que expressa um pensamento plástico total na arquitectura.
Tem obras suas espalhadas um pouco por toda a Europa. Em Portugal tem algumas obras de raro interesse, como o Pavilhão de Portugal na zona oriental de Lisboa, a estação de metro da Baixa-Chiado, a cidade universitária de Aveiro ou o Museu de Serralves no Porto.

Para ver programas com Lisboa, clique aqui.

Para ver programas com Aveiro, clique aqui.

Para ver programas com Porto, clique aqui.

António Damásio  (1944 -      )

É um médico e cientista que se debruça sobre as estruturas cerebrais e as relações entre essas estruturas e o comportamento humano.
Lançou um livro que foi um Best-Seller internacional "O Erro de Descartes - Emoção, Razão e Cérebro" em 1995. É um livro de divulgação das descobertas na área da neurologia mais avançadas à data da publicação. Ao que se seguiu um livro na mesma linha intitulado "O Sentimento de Si".
A tese de Damásio é que a Razão não é uma entidade autónoma como se pensou no Ocidente durante séculos, mas sim uma categoria cognitiva que está perfeitamente ligada a toda a um comportamento emocional do cérebro.
Trabalha nos Estados Unidos e Portugal e dá conferências pelo mundo inteiro.

Maria João Pires (1944 -     )

É uma pianista de nível internacional na música sinfónica erudita. Aos cinco anos deu o seu primeiro recital de piano e aos sete já tocava peças de Mozart. Estudou primeiro em Portugal, no Conservatório, e depois na Alemanha com Rosl Schmid e Karl Engel. Torna-se internacionalmente conhecida como executante quando vence um prémio internacional em 1970, por ocasião do bicentenário do falecimento de Beethoven.
Tem gravado e interpretado ao vivo principalmente Bach, Beethoven, Mozart, Brahms e Chopin, nos circuitos mundiais da música clássica.

Cristiano Ronaldo (1985 -      )
Nasceu em 1985 na ilha da Madeira, de famílias humildes de uma localidade secundária da ilha. Cedo revelou um talento invulgar para jogar à bola. Começou a jogar no obscuro clube da terra e cedo foi requisitado para clubes maiores.

Tendo sido descoberto por um caça-talentos, com apenas 11 anos de idade foi jogar para o Sporting, um dos três maiores clubes portugueses. Aí consolidaria a sua formação como jogador. Tendo ganho vários campeonatos regionais e internacionais.
Tem representado a selecção portuguesa com bastante brio e desde 2006 que joga no Manchester United, no campeonato mais competitivo do mundo, tendo sido uma peça fundamental no esquema atacante desse clube.
O seu estilo agressivo e sempre procurando a baliza é característico, assim como o seu talento em driblar jogadores.