string(4) "1070" string(4) "1030" string(4) "1034" string(4) "1067" string(4) "1073" Braga

Planícies do Alentejo, ALENTEJO

DESTINOS
Página Inicial / Destinos / / Braga
PROGRAMAS DESTINOS
pesquisa avançada   
BRAGA
ARCO DA PORTA NOVA

O Arco da Porta Nova é um arco triunfal em estilo neo-clássico do século XVIII. Substitui o arco anterior no mesmo local que foi feito para marcar a extrapolação das casas para fora dos muros da cidade. Marca a entrada da cidade histórica.

LARGO DO PAÇO

Situado no centro histórico é uma praça quadrada, em que três lados estão delimitados pelos severos edifícios do Paço Episcopal Bracarense, No centro há um chafariz que foi feito em 1723 que tem uma imagem feminina no topo que simboliza Braga.

MOSTEIRO DE TIBÃES

O mosteiro pertenceu à ordem beneditina, esteve ao abandono e quase a cair ao chão, mas este é um caso feliz de recuperação do património.
A igreja é um dos templos mais grandiosos do país e um dos marcos da arte barroca mundial. A fachada é grande, com uma superfície que lembra a arquitectura dos jesuítas, com duas grandes torres sineiras que são rematadas por cúpulas bulbosas.

Mas o interior é grandioso. A igreja é coberta por uma abóbada de pedra esquartelada. As capelas laterais são, cada uma delas, uma obra de vulto da talha, com colunas torsas e arcos perfeitos, numa miríade indescritível de formas. A talha da capela-mor é absolutamente incrível numa mistura de dourados e de formas rocaille. É o barroco na sua forma mais apoteótica.O claustro tem uma colunata fina, de capitéis jónicos, e as paredes estão revestidas por azulejos azuis e brancos de grande qualidade artística.

Os claustros ficam na parte conventual. Há muitas outras divisões para visitar e algumas que ainda não estão prontas para o público. Tem uma área exterior de jardins de cerca de 40 hectares.

PRAÇA DA REPÚBLICA

É uma ampla praça muito comprida. Com a presença de uma grande igreja. Um sítio muito aprazível para passear. Com repuxos, bancos, flores...

SANTUÁRIO E PARQUE DO BOM JESUS DO MONTE

Entra-se para o parque por um pórtico setecentista ladeado por duas pirâmides do século XVIII. O Parque contém uma mata, jardins, vários lagos artificiais (no maior dos quais pode-se remar de bote), um campo de ténis, jardim infantil, estabelecimentos de restauração e praças.

Nos arredores de Braga situa-se este belíssimo santuário que consiste num templo no cimo do monte com uma escadaria colossal na encosta. A escadaria tem dezassete lanços de escada que divergem e convergem subindo ziguezagueante o monte. De lado as copas das árvores de belo porte. A escadaria é ornada com diversos elementos: vasos, estátuas e fontes. Há uma fonte exótica, a fonte do pelicano, que se situa no penúltimo andar.

A fachada do templo tem um pórtico da renascença tardia, ladeado por duas colunas monolíticas de cada lado. No entablamento estão colocados os quatro evangelistas.É um belo exemplo de um conjunto em que a obra da natureza e a pedra construída pelo homem podem estar em sintonia. O belo passeio é pela escadaria, é preciso tempo e calma porque são 116 metros de desnível! Em alternativa há um elevadorzinho que vai pelo meio das árvores. Se calhar sobe-se pelo elevador e desce-se pelas escadaria...

SÉ DE BRAGA

Há um ditado português que diz "é mais velho que a Sé de Braga", referindo-se a uma realidade. De facto, a Sé de Braga é mesmo muito antiga. Com pelo menos mil anos.
O edifício é de raíz românica. A fachada admitiu muitas alterações sendo assim uma fachada composta pelos séculos. Tanto assim é que, em baixo, nos aparece uma galilé  renascentista com grades nos vãos, a reforçar artisticamente a entrada. O tecto da galilé é em abóbada manuelina. As aberturas superiores na fachada foram modificadas no século XVIII tendo frontões clássicos. Com duas torres sineiras, onde por vezes ainda toca um carrilhão com vinte e três sinos.

A igreja tem três naves e cruz latina. O interior possui dois órgãos de tubos da época barroca. São profusamente decorados com talha. São tão bonitos que são já música para os olhos… Tem, mais à frente, dois púlpitos que parecem cálices de talha dourada a subirem pela coluna acima. A capela-mor é de planta quadrada e coberta por uma abóbada e iluminada por três grandes janelas ogivais. Dá ao visitante o toque medieval ao espaço. Este toque também é dado pelas fortíssimas colunas em granito. A Capela dos Reis é uma capela gótica, no qual estão depositados os pais de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal. É também de ver o túmulo de D. Gonçalo Pereira, na Capela da Glória, um féretro de pedra, onde está deitada uma escultura do religioso, assente em leões, e com figurinhas mais pequenas dos lados. Tem um elegante claustro, de fino traço, muito mais recente, do século XIX.

A Igreja da Misericórdia está também integrada no grande conjunto. É um monumento que tem uma fachada feita na altura, e no estilo, do Renascimento. Interiormente tem um grande conjunto retabular em talha. Na sacristia há contadores e arcazes.

PROGRAMAS RELACIONADOS
desde  € 535
desde  € 1710