string(4) "1070" string(4) "1030" string(4) "1069" string(4) "1074" string(4) "1067" Lisboa - Belém

Ponte 25 de Abril, LISBOA

DESTINOS
Página Inicial / Destinos / / Lisboa - Belém
PROGRAMAS DESTINOS
pesquisa avançada   
LISBOA - BELÉM
MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS

É o monumento mais emblemático das Descobertas portuguesas e um dos mais simbólicos de Portugal. Foi mandado construir por D. Manuel para comemorar a descoberta do caminho marítimo para a Índia feita pelos portugueses (século XVI).Está situado frente ao rio, num amplo espaço hoje ajardinado mas que outrora era uma praia. O mosteiro fica agora afastado da água uma boa centena de metros. O mosteiro propriamente dito prolonga-se num comprido corpo horizontal, pautado verticalmente com janelas, é rematado no lado direito com a igreja. Neste topo há um acumular de elementos decorativos e escultóricos. Com uma cúpula sineira bulbosa, e com duas outras torres mais pequenas em pináculos.A porta sul é qualquer coisa de fenomenal, numa profusão escultórica, num rendilhado de bonecos esculpidos por entre baldaquinos ricamente trabalhados, numa complexidade notável porque harmoniosa.
A igreja é uma obra-prima do espírito empreendedor da Humanidade. Tem três naves de tecto da mesma altura, o que lhe dá um carácter estático, renascentista. Mas tudo o mais é manuelino, os pilares, aparentemente frágeis, descem de uma altura magnífica minuciosamente trabalhados, lembrando uma gruta de fantasia. O tecto fica em teias de nervuras góticas, de rara geometria. As dimensões espantam por tão sumptuosas.
O claustro é um dos mais belos de todo o mundo, pelas suas proporções impecáveis, pela originalidade, pela leveza e ao mesmo tempo robustez, com dois pisos, de planta quadrada com os cantos chanfrados. Tem uma abóbada de cruzaria que se coaduna com um balcão corrido, finamente rematado com um rendilhado de pedra. Lá estão tumulados, entre outros, Vasco da Gama (que descobriu o caminho marítimo para a Índia) e dos poetas Fernando Pessoa e Luís de Camões.

Foi classificado pela Unesco como Património Mundial da Humanidade. (Praça do Império. Inverno: 10h00-17h00; Verão: 10h00-18.30h. Fecha 2ª f e 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro. Entrada livre excepto claustros e dependências: €6).


PADRÃO DOS DESCOBRIMENTOS

É uma obra que foi inaugurada em 1960 para comemorar os quinhentos anos da morte do estratega dos Descobrimentos, o conde D. Henrique. É uma caravela de pedra que avança para o Tejo, com uma amurada inclinada e com grupos de heróis nacionais, esculpidos de cada lado, a subirem até ao topo da proa onde está a figura do D. Henrique. A vela é um rectângulo vertical que dá à peça arquitectónica uma grande expressão plástica.
É todo um povo que foi evocado neste monumento, porque foi todo um povo que foi mobilizado pelo mar.

PALÁCIO NACIONAL DA AJUDA
É a maior habitação real em Lisboa, embora seja um palácio inacabado. Constitui uma imponente e majestosa construção em cantaria lavrada, de linhas rigorosamente neoclássicas, onde despontam esculturas de grande qualidade em nichos, num espaço que serve de vestíbulo ao Palácio. Este tem mais interesse nos seus interiores opulentos e magníficos. As salas são repositórios de todo o tipo de mobiliário, ourivesaria, pintura e decoração, especialmente do século XIX, que transformam este edifício num cofre cheio de tesouros.
Quase anexo a este Palácio há um jardim botânico. (Lg da Ajuda. 10h00-17h00. Fecha 4ª f e 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro; €5; entrada livre domingos e feriados até às 14h)

TORRE DE BELÉM

Ligeiramente metida dentro do Tejo encontra-se a Torre de Belém. É um edifício militar mas não parece. É antes um barco de pedra virado para o espaço aberto da água. As ameias são decoradas com rendilhados manuelinos e nenhuma das fachadas é igual em pormenores e ornatos. O interior do monumento é austero, com abóbadas graves e largas, e peças de artilharia escondidas a vigiarem o rio. É considerada, tanto pelos seus volumes, como pela fantasia, uma peça única de arquitectura. Foi construída em 1515, e aí está, intacta, para todos a visitarem.

E é Património Mundial da Humanidade. ( Praça do Império. Inverno: 10h00-17h00; Verão: 10h00-18.30h. Fecha 2ª f e 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro. €4. Entrada livre domingos e feriados até às 14h).





PROGRAMAS RELACIONADOS
desde  € 535
desde  € 440
desde  € 1710